Aparelho Herbst para avanço mandibular

Exemplo de má oclusão Classe II.

A má oclusão Classe II é originária de vários fatores etiológicos e acomete uma porcentagem significativa da população. No Brasil, de acordo com um levantamento epidemiológico, a má oclusão Classe II apresenta uma prevalência de 42%.

Inúmeros aparelhos ortopédicos funcionais são apresentados na literatura para a correção da má oclusão Classe II com retrusão mandibular.

O aparelho funcional fixo Herbst idealizado por Emil Herbst (1905) e reintroduzido, na década de 80, por Hans Pancherz comparado a esses aparelhos, destaca-se por manter a mandíbula avançada de modo contínuo, apresentar um tempo menor de tratamento ativo, aproximadamente 6 a 8 meses, impacto estético imediato no perfil facial e não-necessidade de colaboração do paciente.

Aparelho Herbst instalado na boca.
O surto de crescimento puberal geralmente é considerado o melhor momento para tratamento ortodôntico em pacientes com má oclusão Classe II ,por causa da intensidade do crescimento condilar durante o surto de crescimento, pois permite que o deslocamento mandibular aconteça com maior intensidade. Todavia, estudos recentes comprovam resposta tecidual em indivíduos tratados após o surto de crescimento pubertário além de remodelação de fossa glenóide, côndilo e adaptação da ATM.
A época de tratamento com Herbst estende-se desde a dentadura mista precoce , até a dentadura permanente e após o surto de crescimento, o que constitui um novo paradigma da terapia com o aparelho Herbst para o tratamento das más oclusões Classe II. A resposta tecidual de pacientes submetidos a este aparelho tem sido documentada em experimentos com comprovada remodelação da fossa glenóide, côndilo e adaptação da ATM.

Desde do surgimento desse aparelho várias formas de utilização desse aparelho têm sido preconizadas por diferentes autores. Segue fotos de alguns tipos do mecanismo do Herbst.

Herbst Splint de Acrílico
Herbst Bandado

Fonte: Capítulo do livro de Ortodontia e Ortopedia Facial SPO 2008.
(autores: Raveli, D.; Dib, L. Maia, Savana; Santos-Pinto, A.; Gandini,L. )

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário

Postar um comentário